Claudio Naranjo

Quem é Claudio Naranjo

Claudio Naranjo, renomado psiquiatra chileno, escritor, mestre e conferencista internacional; é considerado pioneiro em seu trabalho experimental e teórico como integrador da psicoterapia e das tradições espirituais. Figura central do Movimento Humanista, da psicologia da Gestalt e da psicologia Transpessoal.

Devido a essas contribuições, a Universidade de Údine lhe conferiu em 2005 um Doutorado Honoris Causa em Educação. É Membro do Club de Roma. Doutor em Medicina pela Universidade do Chile. Psiquiatra pela Universidade Clínica Psiquiátrica do Chile. Pesquisador adjunto da Universidade da Califórnia em Berkeley (desde 1968). Assessor do Centro de Pesquisas Políticas e Educacionais do Instituto de Pesquisas de Stanford (desde 1969). Pesquisador do Centro de Estudos de Antropologia Médica da Faculdade de Medicina da Universidade do Chile. Professor no Esalen Institute. Fundador do Programa SAT.

Indicado para o Prêmio Nobel da Paz em 2015.

Em 2006 foi criada a Fundación Claudio Naranjo para aplicar suas propostas relativas à transformação da educação tradicional, em direção a uma educação que não descuide do desenvolvimento humano. Em sua opinião, este é o fator do qual depende nossa evolução social.

Idealizador do Encontro de Educadores “Da queixa à criatividade”

Um dos primeiros pesquisadores das plantas psicoativas e da terapia psicodélica; é um dos três sucessores de Fritz Perls (criador da Terapia Gestalt). No Instituto Esalen desenvolveu posteriormente a Psicologia dos Eneatipos, a partir da protoanálise de Oscar Ichazo.

Fundou o Instituto SAT (uma escola de integração psicoespiritual).

Como escritor, alterna suas atividades de estudo e pesquisa com viagens pelo mundo, consagrando sua vida a ajudar os demais na sua busca de transformação. Procura influenciar a opinião pública e as autoridades com a ideia de que só uma transformação radical na educação poderá mudar o curso catastrófico da História.

TRAJETÓRIA

Nasceu em 24 de novembro de 1932 em Valparaiso, Chile. Cresceu num ambiente musical e após uma incursão precoce como pianista, estudou composição musical. Pouco após ingressar na faculdade de medicina, abandonou a composição musical e se dedicou mais a seus interesses filosóficos. Suas principais influências nessa época foram o visionário, poeta e escultor chileno Tótila Albert, o poeta David Rosenman Taub e o filósofo polaco Bogumil Jazinowski.

Após se formar doutor em medicina, em 1959 foi contratado pela Escola de Medicina da Universidade do Chile para fazer parte de um projeto pioneiro para a formação do Centro de Estudos em Antropologia Médica (CEAM), idealizado pelo professor Franz Hoffman. Ao mesmo tempo, completou sua residência na Clínica de Psiquiatria da Universidade do Chile sob a direção de Ignacio Matte-Blanco.

Interessado na pesquisa dos efeitos desumanizadores da educação médica tradicional, viajou brevemente aos Estados Unidos em uma missão designada pela Universidade do Chile para pesquisar o campo de aprendizagem perceptiva e foi nesse momento que conheceu os trabalhos do doutor Samuel Renshaw e de Hoit Sherman na Universidade do Estado de Ohio.

Em 1962 esteve em Harvard, como professor convidado, com todas as honras, no Centro de Estudos da Personalidade e no Emerson Hall, onde participou do Seminário de Psicologia Social de Gordon Allport. Na mesma época estudou com Paul Tillich.

Antes de seu regresso ao Chile, em 1963, associou-se ao Dr. Raymond Cattell no IPAT (Instituto de la Personalidad y Capacidad de Prueba) em Champaign- Illinóis, e foi convidado pela Universidade de Berkeley – Califórnia, para participar das atividades do Centro de Valorização e Pesquisa da Personalidade (IPARH).

Após um novo período no Centro de Estudos de Antropologia Médica na Universidade do Chile, Dr. Naranjo voltou mais uma vez a Berkeley e ao IPARH, onde continuou suas atividades como pesquisador associado até 1970. Foi nessa época que se tornou aluno de Fritz Perls. Fez parte da primeira comunidade da Terapia Gestalt e logo começou a dar oficinas no Instituo Esalen.

Enquanto se tornava uma pessoa de destaque em Esalen, Claudio Naranjo recebia treinamento adicional e supervisão de Jim Simkin em Los Angeles e participava de oficinas de consciência sensorial de Charlotte Selver.

Chegou a ser amigo íntimo de Carlos Castañeda e também fez parte da inovadora Teoria Psicodélica do grupo de Leo Zeff (1965-66). Esses encontros frutificaram na forma das contribuições do Dr. Naranjo ao uso de armalina, MDA, ibogaína e outras fenil-isopropil-aminas no âmbito da psicoterapia, descritas parcialmente em seu livro The Healing Journey.

Em 1969 foi convidado como consultor de política educativa no Centro de Pesquisa criado por Willis Harman no Instituto de Pesquisa de Stanford. A descrição do que seria a aplicação na educação a partir do campo das técnicas psicológicas espirituais em voga na época foi publicada posteriormente em seu livro La Única Búsqueda.

Neste mesmo período foi coautor de um livro sobre meditação –Psicologia de la Meditación –  com o Dr. Robert Ornstein e também recebeu convite da Dra. Ravenna Helson para examinar as diferenças qualitativas entre os livros representativos do “matriarcado” e do “patriarcado”. Foi a partir de sua análise fatorial sobre escritores de ficção para crianças que mais tarde escreveu El Niño Divino y El Héroe.

A morte acidental de seu único filho, em 1970, foi um marco crucial na vida de Claudio Naranjo, e o levou a empreender uma longa peregrinação sob a orientação de Oscar Ichazo, que incluiu um retiro espiritual no deserto de Arica, Chile. Na sua opinião, este foi o verdadeiro princípio de sua experiência espiritual, sua vida contemplativa e o encontro com seu mestre interior.

Depois de sair de Arica, formou um grupo no Chile, que incluía sua mãe, alunos de Gestalt e amigos. Esse grupo, a princípio informal, estabeleceu os fundamentos de suas atividades em Berkeley durante a década de 1970 e graças a ele foi possível criar uma organização sem fins lucrativos chamada Instituto SAT.

Os primeiros programas SAT receberam vários mestres convidados, entre eles Zalman Schachter, Dhiravamsa, Ch’u Fang Chu, Sri Harish Johari e Bob Hoffman.

Em 1976 o Dr. Naranjo foi professor convidado no campus de Santa Cruz da Universidade da Califórnia. Mais tarde, de forma intermitente, foi convidado a lecionar no Instituto de Estudos Asiáticos da Califórnia. Ao mesmo tempo começou a oferecer oficinas na Europa e até hoje segue aperfeiçoando enfoques contidos no programa SAT.

Em 1987 relançou o Instituto SAT para o Desenvolvimento Pessoal e Profissional na Espanha. Desde então o programa SAT se estendeu com grande êxito para Itália, Brasil, Chile, México, Colômbia, Argentina, França, Alemanha, Inglaterra e Coréia do Sul.

Mais recentemente Claudio Naranjo voltou a aplicar o programa SAT na Califórnia, exatamente 40 anos depois de sua criação naquele mesmo local.

Desde o final dos anos 1980 o Dr. Naranjo tem dividido sua agenda anual entre suas atividades pelo mundo e seu trabalho literário em sua casa em Berkeley.

Desde o final dos anos 1990, Dr. Naranjo tem proferido inúmeras palestras sobre educação no intuito de influir na transformação do sistema educacional de diversos países. É sua convicção de que “não existe maior esperança em termos de evolução social do que o fomento coletivo da sabedoria, da compaixão e da liberdade individual”.